Webinar

Link do Webinário Tira Dúvidas – Janeiro 2016

Nosso Webinário aconteceu no dia 21/01 e foi muito legal!!

Se você ficou de fora ou quer assistir novamente, basta clicar no vídeo abaixo:

casa de praia1

Como dividir tarefas com os hóspedes durante o feriado

O carnaval está chegando e com ele vem a famosa “ída para a casa de praia”. Se a casa for sua, já viu! Vai começar a chover mensagens perguntando: “E aí, vai pra casa de praia no Carnaval?”. E você já começa a contar pelo menos umas 10 pessoas na sua casa e começa a surtar pensando em tudo que vai ter que fazer pra agradar o povo! Mas calma…vamos pensar pelo lado bom, é um momento de reunir os amigos e/ou os familiares e época de fazer festa. Com um pouco de organização, tudo pode ficar mais tranquilo e as diferenças entre as famílias e amigos pode ser amenizada.

Listei aqui algumas coisas que você (dona da casa) pode fazer para que todos se entendam nesse momento:

Comida: normalmente quando vai muita gente pra uma casa de praia, várias pessoas levam comida, cada leva o que mais gosta e tal. Mas é necessária uma certa organização pra que a despensa não fique lotada de coisas desnecessárias e você tenha que ficar comprando coisas que faltaram nos mercadinhos regionais (normalmente com longas filas).

É legal que, se você for a dona da casa, ligue pras pessoas que vão e diga que vai fazer um cardápio do que será feito cada dia. Não precisa ser nada rigoroso, afinal todos estão ali pra curtir, mas saber que em um dia vai rolar churrasco e no outro feijoada, e que além disso, haverão crianças na casa e que todo dia vai ter que ter um arroz e feijão, já facilita bastante e te faz fazer as compras de supermercado certinhas. Eu sempre prefiro fazer as compras e depois dividir com todo mundo, acho que é a melhor maneira.

lista-de-compras-para-supermercado-itens-que-nao-podem-faltar-2

Organização da casa: que tal já deixar combinado com as pessoas que vem pra sua casa que cada um traga sua roupa de cama e toalha?

Se não for o caso, se você quiser receber todos com conforto, veja exatamente quantas pessoas vem e tenha lençóis e toalhas suficientes pra todos (e ainda um pouco à mais para o caso de um acidente).

Se você tem rede na casa, já manda lavar pra estar tudo limpinho no feriado.

Travesseiro também é uma coisa que costuma dar problema né? Olho nele!

CAPA-Enxoval-teen-a-perfeita-combinacao-do-jogo-de-lencol-e-de-toalha-1748x984

Limpeza: com muita gente na casa é super normal que a casa fique mais suja e que exija uma frequência maior de limpeza, então antes de receber os convidados faça aquela bela faxina pra receber os hóspedes e, sendo família, o ideal é que vocês dividam as tarefas. Combina com cada família que cada um fica responsável pelo seu quarto, em termos de arrumação e limpeza.

Caso sejam amigos, eu também gosto de pedir. Algumas pessoas por si só já entendem que devem ajudar na casa de outra pessoa e acabam se oferecendo para fazer alguma tarefa, mas alguns amigos e familiares não entendem muito bem essa divisão de tarefas. faz o seguinte: já no primeiro dia, separem as tarefas. defina quem vai passar uma vassoura todo dia na casa, quem vai lavar a louça e quem fica responsável pelos banheiros. Normalmente essas tarefas ficam com as mulheres né? Fazer o quê?

Mas, é lógico que também temos tarefas pros homens. Lá em casa normalmente a gente faz assim: os homens são sempre responsáveis por manter a cerveja gelada, ou qualquer outra bebida que as mulheres gostem (isso inclui comprar gelo e fazer toda aquela engenharia), fazer o churrasco, a moqueca de peixe e feijoada também é com eles! As crianças que precisam brincar e jogar futebol, também fica sob responsabilidade deles. E claro, sempre falta alguma coisa na casa, e aí é hora de mandar os meninos pra rua pra enfrentar longas filas nos mercadinhos pra comprar o que a gente pediu! 😉

Algumas dicas pra receber seus convidados com carinho:

  • Deixe um cheirinho na casa ou ate no quarto que a pessoa vai dormir.
  • Ter kits de escova de dente e pasta para os hóspedes é sempre legal!
  • Verifique se há lâmpadas queimadas na casa, e troque
  • Deixe o banheiro sempre pronto para usar: papel higiênico à mão, sabonete e itens de higiene, além de alguns remédios à disposição também são bem legais.
  • Na cozinha, deixe água à disposição e apresente a cozinha toda aos convidados. Deixe eles bem à vontade para pegarem qualquer coisa.
  • Se seus hospedes acordam mais cedo que você, é legal deixar na noite anterior uma cafeteira disponível com pó de café do lado, ou até acordar cedinho e fazer um café (e depois voltar a dormir! rsrsrs)

E claro, aproveite os convidados na sua casa, converse bastante, mate as saudades e descanse um pouquinho longe do dia-a-dia corrido! 😉

rede

energia positiva

Atitudes negativas acabam com a energia da casa

Quando falamos de Feng Shui, pensamos logo na energia. Mas muita gente não imagina como isso pode afetar a sua casa. Por isso, Vera Caballero, especialista em Feng Shui, fala sobre uma teoria dela que é “atitudes negativas acabam com a energia da casa”, e por ela diz isso? Porque ela percebe que alguns comportamentos se repetem em casas que isso acontece.

Veja algumas situações que ela diz ocorrer em casa desarmoniosas. Avalie com calma…muitas vezes não é a casa, é a gente! 😉

Olha o que as pessoas fazem que faz com que a energia da casa fique lá embaixo:

1. Sua casa é um caos:

Caos e desordem pura. E todo caos gera mais caos. Manter os ambientes da casa, as roupas, as tarefas do lar desorganizadas e desarrumadas é puro Caos. Você pode colaborar jogando objetos e roupas pelos cantos. Assim, você ira perder muito tempo achando documentos e contas. (ruim isso, não?)

2. Casa Suja:

Deixar a casa bem suja. Não limpar a casa. Deixar o pó acumular, não varrer ou passe o aspirador nos cômodos, deixe as louças sujas acumularem na pia é péssimo para o Feng Shui. Sujeira atrai insetos e más energias. Em breve ira atrair tristeza, depressão e pobreza.

bagunca 1

3. Entulho e bugigangas:

Tem gente que adora guardar e acumular papéis velhos, objetos, móveis e utensílios que não são mais úteis dentro de casa. São uma ótima fonte de energia estagnada e pobreza. Acumule tudo que não presta na casa, mas depois não reclame que a vida esta parada.

4. Faça manutenção:

Tem gente que não pinta a casa. Deixa o embolorar. Infiltração, trincas e umidade aparentes têm um aspecto energético bem negativo. Combina com o caos dos entulhos.

5. Não abre as portas e as janelas:

Não deixar a claridade do sol entrar nos ambientes e o ar renovar a energia da casa é um péssimo FengShui. Assim a sua saúde e a energia da casa ficaram saturadas. Ótimo local para bactérias e espíritos sofredores.

janela ventilacao

6. Pintura:

Pinte os ambientes da casa com cores bem sóbrias: preto, roxo, grafite, marrom ou berinjela. Essas cores escuras deixarão sua casa arrepiante. Para dar um aspecto tenebroso use lâmpadas bem fracas ou de cores bem esquisitas. Assim você ira se sentira na casa da família Adams.

7. Dica importante:

Faça tudo relacionado acima de forma natural. É incrível que mesmo com todas essas atitudes algumas pessoas reclamam que a casa tem péssima energia e que suas vidas não andam. Por que será?

É aquilo, sempre chegamos à conclusão que: Organização, Limpeza e Energia estão completamente ligados um ao outro. 😉

Saiba-como-limpar-a-casa-sem-agredir-sua-saúde-e-o-meio-ambiente

8 coisas da casa que você sempre esquece de limpar

É muito comum as pessoas esquecerem de limpar essas 7 coisas…será que você também esquece? Confere aqui…

  • Pincéis de maquiagem

Usados com frequência, os pincéis de maquiagem são ótimos candidatos ao acúmulo de sujeira, bactérias, camadas de produto antigas. Lave com água morna, shampoo neutro e depois deixe secando sobre uma toalha.

pinceis

  •  Embaixo da cama

Como nós não movemos as camas de lugar constantemente, como as cadeiras, por exemplo, é fácil esquecer que mesmo assim poeira e sujeira podem se alojar ali, o que fica complicado se considerarmos que passamos a maior parte do tempo em casa no quarto. Uma passada de aspirador de pó resolve.

  • As almofadas do sofá

Se o seu sofá possui almofadas individuais, retire uma por uma e passe um pano por elas. Depois, veja que tipo de miudezas andou por ali e você não sabia – sempre tem uma moeda perdida! Se o sofá for de uma peça só, passe um pano reforçado para limpar as dobras entre os braços, encosto e assento.

  • O rejunte do piso

Limpar o rejunte do piso não é uma tarefa muito divertida, mas vale o investimento: depois de limpar algumas vezes, você vai olhar e perceber facilmente quando houver alguma mancha, o que economiza o seu tempo. Para limpar esse rejunte, não há nada melhor do que vinagre branco (aquele transparente, sem corantes). Aplique o vinagre puro no rejunte e deixe de molho uns 10 minutos, depois venha com uma escovinha de limpeza e esfregue um pouquinho (sério, nem precisa esfregar muito). Se quiser aproveitar e já lavar o piso, você pode colocar um detergente e um pouco de água, lava e depois seca. Você vai ver seus rejuntes brancos como nunca viu!!

limpeza_rejunte

  • Os caixilhos das janelas (onde a janela corre, sabe?)

Outro canto fácil de esquecer, os caixilhos da janela geralmente acumulam poeira, sujeira e até insetos. Para resolver, um pano úmido ou uma passada de aspirador de pó.

  • Cúpulas de abajur

Um pano também soluciona a limpeza das cúpulas de abajur, que devem ser espanadas por dentro e por fora.

  • As portas da casa

Pode não parecer, mas as portas acumulam poeira. Um pano úmido já basta.

  • Rodapés

O rodapé é algo que muitas vezes a gente não dá importância né? Pois quando estiver passando um pano úmido na casa, passe um pedacinho desse pano no rodapé. É assustador! hahahaa

Portanto, de vez em quando, passe um paninho úmido nesses rodapés da casa.

cleanner floor

 

sala_de_estar_-_aparador_-_arq_diego_revollo_arquitetura_foto_alain_brugier_fonte_home_adore

10 dicas para escolher móveis para ambientes pequenos

pequeno

1. Móveis retos funcionam melhor. Possibilitam encaixes nos ambientes.

2. Peças suspensas são sempre bem-vindas: elas privilegiam a circulação.

3. A melhor maneira de visualizar um móvel no ambiente é simular seu tamanho real. No chão, demarque as medidas com jornal. Observe se sobra área para os outros móveis.

4. Escolha elementos que possam mudar de lugar. O banquinho que está na cozinha deve servir para a sala, para a área de serviço etc.

5. Pense na decoração alinhada ao seu dia a dia, e não às ocasiões especiais. “Não faz sentido uma mesa enorme, que ocupe metade da sala, para um lugar onde vivem duas pessoas. Quando o número de convidados for grande, improvise”, afirma Marcus Ferreira.

6. Em busca de leveza visual, prefira as peças que misturem poucos materiais. Se o ambiente é pequeno, o ideal é que os móveis nem sequer sejam notados.

pequeno 1

7. Não compre tudo ao mesmo tempo. O ideal é partir do móvel maior. Os demais vêm depois, se sobrar espaço.

8. Peças dobráveis e empilháveis são as grandes aliadas das metragens reduzidas. Dê preferência a elas, desde que o conforto e a estabilidade sejam preservados. Não adianta ter uma mesa dobrável que chacoalha durante o uso.

9. Tenha poucos móveis. Não cabem o sofá nem as poltronas? Fique apenas com o sofá – um que você ame.

10. Opte pela ocupação horizontal, e não vertical. Quanto menos preenchida estiver a parede, mais respiro tem a decoração.

Matéria daqui

Webinar

Respondendo todas as suas perguntas – webinário ao vivo!

Vou fazer um webinário respondendo as perguntas de vocês. Preciso de perguntas, hein?! 

Sempre recebo muitos e-mails com dúvidas sobre organização. As pessoas não sabem bem como começar à se organizar, ou como manter a organização da casa, enfim…sempre acho que restam muitas perguntas à serem respondidas. Por isso eu resolvi fazer um webinário de uma hora ao vivo pra responder as perguntas de vocês! Vou selecionar 10 perguntas (as que forem mais frequentes).

O webinário é como um transmissão, onde eu estarei em um vídeo ao vivo respondendo suas perguntas e eu gostaria que vocês enviassem perguntas antes!

Mande sua pergunta para o e-mail [email protected]

Quando será o webinário? 21 de janeiro de 2016 às 20h

Como enviar as perguntas? Envie um email para [email protected]

Até quando posso enviar as perguntas? Até dia 19/01/2016 até 23:30

 

Aguardo sua pergunta! Vou avisar por aqui e por todas as redes sociais como vocês se inscrevem pro nosso encontro. Em breve maiores informações… 😉

webinario

 

Relogio-antigo-closeup

5 Perguntas para melhorar o seu planejamento nesse novo ano

Já falei algumas vezes aqui do Christian Barbosa! Ele é o autor do livro “A tríade do tempo”(maravilhoso!!) e de alguns outros tantos que falam sobre tempo e produtividade.

Esses dias recebi um email dele falando sobre o planejamento do Ano Novo. Como ainda estamos nesse iniciozinho de ano, começando bem devagar porque no Brasil o ano acaba começando mesmo depois do Carnaval, que tal se fazer essa perguntas para melhorar o seu planejamento para 2016?

Veja o que ele nos propõe:

1 – Maiores Aprendizados

O que o ano que passou trouxe que fez você crescer como pessoa ou profissional? Que problemas você teve de enfrentar? Que coisas você não repetiria nunca mais na sua vida? E que coisas você repetiria sempre que possível?

2 – Oportunidades Perdidas

O que você deixou de escapar no ano passado? O que fez você perder a oportunidade? O que faria você aproveitar a oportunidade em uma próxima vez? É possível reaver a oportunidade que foi perdida? Como?

3 – Pessoas Importantes  

Quem foi importante para você em 2015? Como você retribuiu essas pessoas importantes? Quem você precisa cortar da sua lista de relacionamento? Quem você disse mais “sim” querendo dizer um “não”?

4 – Metas

Que sonhos você realizou? Que sonhos você adiou? Planejou metas por escrito para o ano que passou? Quantas? Acompanhou durante o ano? O que faltou?

5 – EU com EU

Sobrou tempo para você? Leu os livros que comprou? Cuidou da saúde? Fez algum esporte com regularidade? Descobriu ou praticou algum hobbie com frequência? Dormiu bem? Se alimentou bem? Cuidou do físico, da mente, do coração e do espírito?

Experimente responder essas perguntas, guarda em um arquivo, e-mail, no papel, não importa. É um processo muito poderoso. Coloca na agenda para reler algumas vezes no ano. Veja o impacto na mudança.

relogio

Texto4

Guia prático (que realmente funciona) para ter uma rotina mais produtiva

Li essa matéria no site da Superinteressante e achei fundamental dividir com vocês, porque cada dia mais precisamos entender como ser mais produtivos.

Que fique bem claro! Produtividade = capacidade de produzir, ou seja, você foca no que tem que fazer de forma que seu tempo rende mais! Portanto, tentar melhorar nunca é demais né? assim sobra mais tempo pra fazer um monte de coisas… 😉

O texto é grande, mas vale super à pena. Eu, depois que aprendi à ser mais produtiva, melhorei muito e ganhei mais tempo na minha vida. Espero que goste!

___________________________________________________________________

Temos muitas ideias e vontade de fazer muitas coisas, mas não conseguimos nos organizar para concretizá-las. Daí pode vir a insatisfação com o trabalho e/ou com a vida. Nem sempre conseguimos entender de primeira, mas é bem possível que ela tenha menos a ver com questões existenciais e mais com o fato de não conseguirmos nos organizar o suficiente para traçar metas e cumpri-las. E é comum culparmos fatores externos – temos muita coisa pra fazer em pouco tempo, a empresa em que trabalhamos é pequena demais e não permite experimentalismos, a empresa em que trabalhamos é grande demais e não permite experimentalismos, nossos amigos, familiares e namorado (a) nos cobram atenção demais etc.

Mas, como não existem lugar e situação perfeitos e ainda assim sabemos que há pessoas sendo produtivas por aí, podemos concluir que a solução é muito mais pessoal e talvez precisemos parar de reclamar e tomar responsabilidade pelo que está acontecendo. Isso é o que defende o livro “Manage your day-today: Build your routine, find your focus and sharpen your creative mind” (Amazon Publishing). Editado por Jocelyn Glei, editora-chefe do projeto 99U, o livro traz contribuições de várias pessoas conhecidas por serem eficientes em fazer as coisas acontecerem.

Destaco, a seguir, alguns pontos para ajudar você a construir uma rotina produtiva (e que têm funcionado para mim):

Passo 1: Diferencie trabalho reativo de trabalho criativo

Esse é um conceito importante que faz toda a diferença se você quer organizar seu tempo. Um dos maiores (e mais comuns) erros que cometemos é colocar todas as tarefas no mesmo saco e tratá-las da mesma forma – ou, no máximo, separá-las por ordem de importância. O problema é que essa importância, de modo geral, é ditada por outros – pelos e-mails, mensagens e pedidos que recebemos. A ideia aqui é diferenciar o que é trabalho reativo (tarefas mais simples que envolvem responder ou reagir a pedidos) do que é trabalho criativo (aquele que exige mais de nossa capacidade e realmente nos desafia e anima).

Passo 2: Não desperdice seu período de melhor energia e concentração com trabalhos reativos

Depois de fazer essa separação de tarefas, é hora de mudar o tratamento dado a elas. Pode ser tentador começar o dia com as tarefas mais bobas para poder riscar itens de sua lista, mas, fazendo isso, você usa a melhor parte do seu tempo e de sua energia com as demandas de outras pessoas e com trabalhos mais mecânicos que não vão te acrescentar nada. Quando você finalmente estiver livre para fazer as suas coisas, seu nível de energia já estará baixo e você produzirá pouco (ou nada). E aí a frustração só vai crescer. Em outras palavras, é melhor começar o dia escrevendo aquele texto legal e deixar para ver o que tem de novo no Facebook mais tarde, por exemplo – porque a gente bem sabe que, nas redes sociais, um post leva a outro post, que leva a um link, que leva a um vídeo, e quando você percebe já desperdiçou vários minutos de energia e concentração com coisas inúteis.

Contando sobre como essa mudança o transformou de um escritor frustrado a um escritor produtivo, Mark McGuinness, um dos colaboradores do livro, escreveu:

imagem 1

Ele admite que não é fácil deixar as pessoas esperando, mas não se deve abrir mão desse tempo só seu. “É melhor desapontar algumas pessoas em pequenas coisas do que renunciar aos seus maiores sonhos e seu potencial só pra ter uma caixa de e-mail vazia”, completa. Isso pode exigir mudanças, como chegar mais cedo ao trabalho para aproveitar o tempo silencioso antes de o pessoal todo chegar, por exemplo. Ou simplesmente avisar seus colegas de que não pode ser incomodado durante determinado período. Veja o que funciona melhor para você.

Passo 3 – Tenha um ritual

Eis um conselho meio clichê que funciona. Ter um ritual faz com que sua mente se acostume a associá-lo ao trabalho criativo e ficará cada vez mais fácil se concentrar. O livro menciona o ritual do escritor Stephen King:

imagem 2

Passo 4 – Anote seus compromissos

Anote cada compromisso que firmar com você mesmo ou com outros e deixe num lugar fácil de ver. A ideia aqui não é fazer com que você se sinta pressionado pelo número de tarefas, mas sim lhe dar a tranquilidade de saber que não está esquecendo nada. Assim, poderá se concentrar na tarefa que está em suas mãos no momento com a consciência tranquila.

Passo 5 – Estabeleça horários fixos para começar e terminar os trabalhos. Ser workaholic não é sinônimo de ser produtivo.

É importante ter um horário fixo para começar e terminar os trabalhos mesmo se você trabalha em casa. Separe seu dia de acordo com o tipo de trabalho: uma parte só para o criativo, outra para reuniões, outra para troca de mensagens, trabalho administrativo etc. Isso evita que as tarefas menos importantes levem mais tempo do que o necessário e evita que você se torne um workaholic, que é bem menos produtivo do que parece – sua capacidade é limitada e você precisa de descanso. Acredite: você está trabalhando menos a favor da sua produtividade quando almoça em 15 minutos e corre pra voltar ao trabalho do que se usasse um tempo maior para comer com calma, caminhar, conversar com os amigos. Além disso, parar por uns cinco ou dez minutos a cada ciclo de 90 minutos de trabalho é uma necessidade do seu corpo, não um luxo. E jamais sacrifique suas horas de sono – mesmo uma pequena privação já pode afetar consideravelmente sua capacidade cognitiva. Manter uma rotina saudável de sono é a melhor coisa que você pode fazer pela sua produtividade.

como-organizar-as-contas

Passo 6 – Seja constante. E não espere por inspiração – apenas faça.

Depois de diferenciar o tratamento aos trabalhos reativos e criativos, eis o conselho mais importante desta lista. Nós temos a tendência a superestimar o que podemos fazer em um período curto de tempo e subestimar o que podemos fazer em um longo período se trabalharmos consistentemente, sem esperar até que se sinta inspirado. Mas a verdade é que, se você fizer uma tarefa todos os dias, mesmo que por um curto período diário, vai realizar muito mais e melhor. Em longo prazo, a frequência aumenta tanto a produtividade quanto – pasmem – a criatividade e a inspiração. É de novo aquela história do post anterior de aprender a dominar a sua própria mente.

A escritora Gretchen Rubin, autora de “The Happiness Project” e uma das colaboradoras do livro, é uma entusiasta dessa ideia e um de seus lemas é “O que eu faço todos os dias importa mais do que aquilo que eu faço de vez em quando”. Ela listou algumas razões por que trabalhar um pouquinho todo dia naquele seu projeto do coração <3 (escrevendo, no caso dela) vale a pena:

– A frequência faz com que começar o trabalho fique mais fácil. Vira um hábito, algo natural. Fora que a coisa está sempre fresca na sua cabeça e você não se sente distante do seu projeto, tendo que recapitular o que já fez e aonde quer chegar.

– A frequência torna mais fácil ter ideias e mais raro ter bloqueios. Quando estamos profundamente ligados a alguma coisa, tudo parece ter relação com ela e você fica mais propenso a ter ideias originais.

– A frequência diminui a sua insegurança. A lógica é simples: se você só vai escrever uma página ou post ou o que for por semana, você espera que o resultado seja ótimo, e começa a ficar inseguro em relação à qualidade do seu trabalho e à sua própria capacidade. Assim, torna-se mais crítico de si mesmo e acaba produzindo menos. “Como eu escrevo todos os dias, nenhum dia é particularmente importante. Eu tenho dias bons e ruins. Alguns dias eu não consigo fazer muita coisa, mas tudo bem porque eu sei que estou trabalhando de uma forma consistente. Minha consequente falta de ansiedade me deixa mais relaxada e me permite experimentar e arriscar. Se algo não funciona como eu gostaria, eu tenho tempo suficiente para tentar de outra forma”, diz Gretchen.

– A frequência melhora a qualidade do seu trabalho. Trabalhar um pouco todos os dias em um projeto, estando inspirado ou não, lhe dará tempo para aperfeiçoar o que já fez.

– A frequência aumenta a produtividade – não só porque você está fazendo algo todos os dias, mas porque torna todo o processo mais fácil e prazeroso. Nada é mais prazeroso do que se ver caminhando em direção a um grande objetivo: perceber que estamos fazendo progresso é inspirador e confortante; ficar parado no mesmo lugar, por outro lado, é desanimador. E a ansiedade da procrastinação às vezes é desesperadora. Nesses casos, a frequência parece ser o melhor remédio.

barra inox

Como ganhar espaço na cozinha

Improvisos para quem precisa ganhar espaço na cozinha mas não quer (ou não pode agora) investir em uma reforma. E nem precisa…olha que ideias legais!

cozinha 1

Essa é ótima pra aproveitar os espaços em cima daquele armário que não vai até o teto: uma prateleira que pega de ponta à ponta. Caixas e cestas lá em cima podem ajudar bastante também, só não use o papelão nesse caso por causa da gordura da cozinha, que vai fazer com que a caixa fique pegajosa de gordura (eca!).

cozinha 2

O espaço embaixo do armário também pode ser aproveitado com prateleiras. Olha essa ideia que legal! Você coloca uma prateleirinha onde pode agrupar canecas e potinhos.

cozinha 3

Se você tem uma janela no meio da cozinha (como na foto) pode aproveitar as laterais dos armários para colocar pequenas prateleiras, que sempre são úteis no dia-a-dia.

armarios 2

armarios 1

As portas dos armários também podem ser bem aproveitadas com esses porta tábuas de corte (você consegue encontrar esses produtos na Leroy Merlin ou na Multicoisas). E como mostro na foto, eles servem pra várias coisas, não só pra tábuas! 😉

prateleiras 2

prateleiras 1

Para aproveitar melhor as prateleiras altas, você pode colocar mini prateleiras de aramado (Você encontra na Multicoisas) ou ainda colocar suas tábuas e travessas em pé, para isso basta colocar umas “traves” que a gente chama de cavilha (você compra a cavilha e cola ou prega no seu armário, são esses bastõezinhos que vão segurar tudo que você colocar entre um e outro).

barra inox

E as maravilhosas barras de inox para pendurar tudo que sua imaginação permitir!! ahhaha

Mas vai com calma: lembre que tudo que ficará pendurado, ficará exposto, logo pega mais gordura e poeira. Portanto, o que eu faço na minha casa e aconselho é: pendure ali apenas o que você usa muito! Assim não dá nem tempo de pegar poeira (exemplo: eu penduro as colheres de silicone que uso diariamente pra cozinhar, uma peneirinha que também uso com frequência e um abridor de latas colorido, que é apenas pra combinar com tudo pois tem  mesma cor! haha).

 

desapego-tutorial-definitivo

Declutter…ou desapego – você sabe como fazer?

Bom, não é de hoje que eu falo disso aqui no blog (você pode conferir esses posts aqui –>Semana Declutter e Desapegar – tão importante quanto organizar).

O declutter (termo que utilizamos para o desapego e o destralhamento) é tema antigo por aqui e é muito famoso na minha casa. Tô sempre fazendo!!

Se muda a estação, estou eu lá desapegando. Se resolvo fazer aquela faxina mais pesada no armário ou em um cômodo, lá vai mais tralha embora. Se acordo de mal humor então, nada melhor que uma bela faxina e um bom destralhamento pra arejar a cabeça e o coração!

doacoes

Então hoje eu trouxe coisas mais rápidas e básicas pra ajudar você à desapegar. Lembre-se que: o desapego é algo fundamental para manter a organização da sua casa e da sua vida!

Pense sempre nas opções abaixo:

1. Eu usei isso no último ano?

Se a resposta for não, é hora de desapegar.

2. Se eu fosse fazer compras agora, iria comprar isso?

Se você não compraria, não guarde.

3. Não jogo isso fora porque não quero desperdiçar dinheiro?

Pense nisso: você desperdiçou dinheiro ao comprar algo que não usa.

4. Estou guardando isso por valor sentimental?

Seja rigoroso e tenha uma caixa de recordações pequena para guardar alguns itens. Se preferir, tire uma foto das coisas que for jogar fora, assim que você pode guardar para sempre.

5. Eu tenho outro item com a mesma finalidade?

Se sim, então se livre de um deles.

6. Eu tenho um plano realista para usar isso?

Tenha um plano concreto e com prazo para usar o item. Se não usar dentro desse prazo definido, jogue fora.

7. Isso me serve? Combina com a minha casa?

Pense bem sobre o que manter – o seu espaço é sagrado. Você pode amar as peças, mas se a roupa não serve mais ou o item só ocupa espaço, desapegue.

8. Se eu consertar esse item quebrado, vou usar?

Conserte agora. Ou se não consertar nas próximas duas semanas, jogue fora. Durante o processo, pode aparecer um bloqueio sobre o desapego, e isso é normal. Mantenha o foco e aproveite esse novo hábito que, conforme você vai fazendo, fica cada vez mais fácil. 😉

fragmento-de-vidro-quebrado--lixo--objetos--copos_3220031

fazer a cama

TOC x Organização – acabando com o mito!

Ahhhh meu Deus!! Mais uma vez eu vejo uma polêmica à respeito da organização onde muitos a confundem com uma doença muito séria, chamada TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e dessa vez resolvi trazer, além das minhas palavras, o texto de um respeitado médico, Dr. Dráuzio Varella.

drauzio

Pra começar, gostaria de dizer que a culpa não é sua nem minha sobre essa confusão, mas sim de toda uma sociedade e de muitos anos de discussão sem pé nem cabeça sobre esse tema.

Primeiro, quem tem a doença denominada TOC muitas vezes tem vergonha de expor os reais motivos, porque as pessoas são preconceituosas e não sabem lidar.

Segundo, os organizados são poucos no mundo. Em sua maioria, as pessoas não são organizadas. O que não é nenhum problema, desde que essa pessoa não encha o saco do organizado, e vice versa. Mas, o que vemos é: pessoas desorganizadas falando mal dos organizados e chamando-os de pessoas com TOC, e pessoas organizadas querendo provar à qualquer custo que uma vida organizada é melhor e que o mundo só deveria ter organizados.

Ok, eu até puxo a sardinha pro meu lado, porque estou sempre falando sobre como a organização pode trazer benefícios na sua vida, e muuuuitos desorganizados estão conseguindo entender isso e ver como a vida melhora. Mas não estou aqui pra catequizar ninguém, eu tenho um trabalho com organização, tenho uma página que fala sobre organização e cursos sobre organização. Vem quem quer, curte quem quer, compra quem quer. Não preciso ficar martelando na cabeça de ninguém! A última coisa que quero é virar uma “chata organizer” haahaha.

Volta e meia escuto um amigo dizer: “Nunca vou te chamar na minha casa, é tão bagunçada, eu tenho vergonha”. E a primeira coisa que digo é: “Você vai me pagar? Porque se não for eu só vou como sua amiga mesmo, e não estarei lá pra julgar nada nem ninguém, ok? Se você for me pagar, é outra história, vou ter que perceber o que acontece na sua casa, MAS mesmo assim, só vou fazer meu trabalho e tentar melhorar a sua vida com organização. Simples assim!”. E a discussão normalmente acaba e vamos tomar um chope. 

Terceiro: uma parcela de culpa por essa palhaçada toda e das próprias profissionais que trabalham com isso! (Momento de pausa para chorar um pouco…). Já escutei várias vezes alguma colegas Personal Organizers dizendo que pra trabalhar com organização você primeiro tem que ter TOC. Quase morro quando escuto isso! Mas tudo bem, depois de quase ter um infarto, tô por aqui ainda.

Bom, vista essa parte de porque pensamos sobre organização e TOC, e porque relacionamos um ao outro, que fique bem claro que TOC é uma doença séria e muito triste,originária de distúrbios de ansiedade e que deve ser tratada. Já vi gente que desenvolve um tipo de compulsão repetitiva, como virar a chave de casa 17 vezes antes de sair (por exemplo) e, se ela não fizer isso, ela entra em uma paranóia de que algo terrível vai acontecer com ela. Muitas vezes voltando em casa pra fechar novamente a porta 17x. Enfim, esse é só um exemplo bobo de uma coisa muito, muito séria e que pode ter vários caminhos.

Entendam que, quando uma pessoa organizada diz: “Eu não consigo fazer meu dia fluir se não fizer minha cama” é porque ela está dizendo que o campo visual dela melhora e ela consegue fazer as coisas melhor, fica mais produtiva quando tudo está no lugar. Não quer dizer que se ela acordar com alguém passando mal e tiver que levar pro hospital ela não vai levar porque precisa fazer a cama. Dããã…

fazer a cama

Vamos parar de levar tudo tão ao pé da letra e avaliar o que lemos com mais calma! Pense sempre que, às vezes o texto ou o comentário de alguém pode te ajudar em alguma coisa que você tem dificuldade. Garanto que é bem mais fácil ver o mundo assim! Sejamos mais tolerantes uns com os outros.  Portanto, comentários de profissionais que trabalham com isso são super bem-vindos para complementar nossa discussão, c=e claro, sem ofender ninguém! 

Agora vamos ao texto do renomado médico Drauzio Varella (ele postou isso em seu site em 19/04/2011):

TOC, ou transtorno obsessivo-compulsivo, é um distúrbio psiquiátrico de ansiedade descrito no “Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais -DSM.IV” da Associação de Psiquiatria Americana. A principal característica do TOC é a presença de crises recorrentes de obsessões e compulsões.

Entende-se por obsessão pensamentos, ideias e imagens que invadem a pessoa insistentemente, sem que ela queira. Como um disco riscado que se põe a repetir sempre o mesmo ponto da gravação, eles ficam patinando dentro da cabeça e o único jeito para livrar-se deles por algum tempo é realizar o ritual próprio da compulsão, seguindo regras e etapas rígidas e pré-estabelecidas, que ajudam a aliviar a ansiedade. Alguns portadores dessa desordem acham que, se não agirem assim, algo terrível pode acontecer-lhes. No entanto, a ocorrência dos pensamentos obsessivos tende a agravar-se à medida que são realizados os rituais e pode transformar-se num obstáculo não só para a rotina diária da pessoa como para a vida da família inteira.

Em geral, os rituais  se desenvolvem nas áreas da limpeza, checagem ou conferência, contagem, organização, simetria, colecionismo, e podem variar ao longo da evolução da doença.

Classificação

Existem dois tipos de TOC:

a) Transtorno obsessivo-compulsivo subclínico – as obsessões e rituais se repetem com frequência, mas não atrapalham a vida da pessoa;

b) Transtorno obsessivo-compulsivo propriamente dito: as obsessões persistem até o exercício da compulsão que alivia a ansiedade.

Causas

As causas do TOC não estão bem esclarecidas. Certamente, trata-se de um problema multifatorial. Estudos sugerem a existência de alterações na comunicação entre determinadas zonas cerebrais que utilizam a serotonina. Fatores psicológicos e histórico familiar também estão entre as possíveis causas desse distúrbio de ansiedade.

Sintomas

Em algumas situações, todas as pessoas podem manifestar rituais compulsivos que não caracterizam o TOC. O principal sintoma da doença é a presença de pensamentos obsessivos que levam à realização de um ritual compulsivo para aplacar a ansiedade que toma conta da pessoa.

Preocupação excessiva com limpeza e higiene pessoal, dificuldade para pronunciar certas palavras, indecisão diante de situações corriqueiras por medo que uma escolha errada possa desencadear alguma desgraça, pensamentos agressivos relacionados com morte, acidentes ou doenças são exemplos de sintomas do transtorno obsessivo-compulsivo.

Frequência

Em geral, só nove anos depois que manifestou os primeiros sintomas, o portador do distúrbio recebe o diagnóstico de certeza e inicia do tratamento. Por isso, a maior parte dos casos é diagnosticada em adultos, embora o transtorno obsessivo-compulsivo possa acometer crianças a partir dos três, quatro anos de idade.

Na infância, o distúrbio é mais frequente nos meninos. No final da adolescência, porém, pode-se dizer que o número de casos é igual nos dois sexos.

Tratamento

O tratamento pode ser medicamentoso e não medicamentoso. O medicamentoso utiliza antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina. São os únicos que funcionam.

A terapia cognitivo-comportamental é uma abordagem não medicamentosa com comprovada eficácia sobre a doença. Seu princípio básico é expor a pessoa à situação que gera ansiedade, começando pelos sintomas mais brandos. Os resultados costumam ser melhores quando se associam os dois tipos de abordagem terapêutica.

É sempre importante esclarecer o paciente e sua família sobre as características da doença. Quanto mais a par estiverem do problema, melhor funcionará o tratamento.

Recomendações

* Não há quem não tenha experimentado alguma vez um comportamento compulsivo, mas se ele se repete a ponto de prejudicar a execução de tarefas rotineiras, a pessoa pode ser portadora de transtorno obsessivo-compulsivo e precisa de tratamento;

* Crianças podem obedecer a certos rituais, o que é absolutamente normal. No entanto, deve chamar a atenção dos pais a intensidade e a frequência desses episódios. O limite entre normalidade e TOC é muito tênue;

* Os pais não devem colaborar com a perpetuação das manias e rituais dos filhos. Devem ajudá-los a enfrentar os pensamentos obsessivos e a lidar com a compulsão que alivia a ansiedade;

* O respeito a rituais do portador de TOC pode interferir na dinâmica da família inteira. Por isso, é importante estabelecer o diagnóstico de certeza e encaminhar a pessoa para tratamento;

* Esconder os sintomas por vergonha ou insegurança é um péssimo caminho. Quanto mais se adia o tratamento, mais grave fica a doença.